Bangladesh mobiliza exército para dar ajuda humanitária a rohingyas

Dominique Faget / AFP Os refugiados muçulmanos Rohingya atravessam a água submersa no campo de refugiados de Thyangkhali, no distrito bengali de Ukhia


Dacca, Bangladesh –
Bangladesh ordenou nesta quarta-feira (20/9) que suas forças armadas participem na distribuição de ajuda humanitária e na construção de abrigos para os refugiados rohinygas, indicou uma fonte do governo.

O exército nacional vai se posicionar na região de Cox’s Bazar, anunciou à AFP Obadiul Quader, funcionário muito influente no governo da primeira-ministra Sheikh Hasina, e segundo mais alto dirigente do partido no poder, o Awami League. Mais de 420 mil rohinygás se refugiaram em Bangladesh por causa da violência em Mianmar.
Esta decisão dá início a uma etapa de envolvimento direto do exército de Bangladesh nesta crise humanitária.  Na semana passada, as autoridades encomendaram a tarefa de levar ajuda internacional aos campos de deslocados.
Leia mais notícias em Mundo
Nesta quarta, Sheikh Hasina reiterou seu apelo para que Mianmar readmita em seu território os 420.000 refugiados rohingyas. “Nós afirmamos a Mianmar ‘são seus cidadãos, devem readmiti-los, garantir sua segurança, acolhê-los, não deve existir opressão nem tortura'”, afirmou a primeira-ministra em Nova York durante uma reunião com seus compatriotas, segundo a imprensa de Bangladesh.
Sheikh Hasina está em Nova York para a Assembleia Geral da ONU, onde deve discursar na quinta-feira. Hasina reiterou o apelo depois que a líder birmanesa Aung San Suu Kyi declarou que Mianmar estava “pronta” para um retorno dos refugiados rohingyas.
Os rohingyas, a maior população apátrida do mundo, são considerados há várias décadas estrangeiros em Mianmar, país com 90% da população budista. Os rohingyas sofrem uma discriminação que impede viagens ou casamentos sem autorização. Também estão privados do acesso ao mercado de trabalho e aos serviços públicos, como escolas e hospitais.
Bangladesh mobiliza exército para dar ajuda humanitária a rohingyas
Rate this post
Terremoto deixa ao menos 217 mortos no México e espalha destruição
Sobe para 32 o número de crianças mortas em escola na Cidade do México