EUA anuncia sanções à Rússia por ataque com agente nervoso no Reino Unido

Os agentes nervosos Novichok são uma série de tóxicos altamente perigosos desenvolvidos por cientistas soviéticos nos anos 1970-1980(foto: Gulshan Khan)Os agentes nervosos Novichok são uma série de tóxicos altamente perigosos desenvolvidos por cientistas soviéticos nos anos 1970-1980 (foto: Gulshan Khan)

Washington, Estados Unidos – Os Estados Unidos anunciaram nesta quarta-feira (8) a intenção de impor novas sanções econômicas à Rússia, depois de responsabilizar Moscou pelo ataque com o agente nervoso Novitchok, ocorrido em março no Reino Unido.
O Departamento de Estado informou que as sanções são em resposta ao “uso de um agente nervoso ‘Novichok’ em uma tentativa de assassinar o cidadão do Reino Unido Serguei Skripal”, ex-agente duplo russo, e sua filha, Yulia, em março.
“O governo da Federação da Rússia usou armas químicas ou biológicas em violação à lei internacional”, disse a porta-voz do Departamento de Estado, Heather Nauert, ao informar sobre a decisão em um comunicado. As novas sanções, que não foram detalhadas, vão entrar em vigor após um período de notificação do Congresso de 15 dias, disse Nauert.
Skripal e sua filha foram envenenados no começo de março em Salisbury, sudoeste da Inglaterra, com o agente neurotóxico Novichok, uma tentativa de homicídio que o governo britânico atribuiu à Rússia, que por sua vez refuta categoricamente a acusação. O caso desatou uma grave crise diplomática entre russos e ocidentais, que deu lugar a expulsões cruzadas de diplomatas. Hospitalizados em estado crítico, Seguei e Yulia Skripal conseguiram sobreviver após várias semanas internados em tratamento intensivo.
Ex-encarregado dos serviços de espionagem do Exército russo, Serguei Skripal foi condenado em 2006 por alta traição, acusado de vender informação aos serviços britânicos. Depois de se beneficiar em 2010 de uma troca de espiões entre Moscou, Londres e Washington, decidiu se instalar na Inglaterra.
Além dos Skripal, um casal de britânicos foi envenenado em 30 de junho após ter contato com Novichok contido em um frasco. A mulher, Dawn Sturgess, de 44 anos, morreu, mas seu companheiro, Charlie Rowley, sobreviveu.
Na terça, a Organização para a Proibição de Armas Químicas (OPAQ), com sede em Haia, informou que Londres pediu que aumentasse sua assistência técnica no caso do agente neurotóxico Novichok. A pedido de Londres, a OPAQ enviou uma equipe em julho para “determinar de forma independente a natureza” da substância que causou a morte de uma pessoa na Inglaterra.
Os agentes nervosos Novichok são uma série de tóxicos pouco conhecidos e altamente perigosos, desenvolvidos por cientistas soviéticos nos anos 1970-1980, último período da Guerra Fria. Esta substância, que pode levar à morte, age no sistema nervoso, gerando perda de controle muscular, espasmos e paralisia. 
EUA anuncia sanções à Rússia por ataque com agente nervoso no Reino Unido
Rate this post
López Obrador é formalmente nomeado presidente eleito do México
Para Jungmann, caso Marielle é complexo pois envolve agentes de Estado