Expedição alerta sobre branqueamento maciço de corais no Pacífico

GREGORY BOISSY

O conjunto do Pacífico está sofrendo um “branqueamento maciço de corais”, causado principalmente pelas mudanças climáticas, alertaram nesta quarta-feira (6/9) os cientistas da expedição francesa Tara Pacific.
“Embora alguns lugares continuem incólumes, como as ilhas Wallis e Futuna, o cobertor coralino está afetado entre 30% e 90% em outros lugares”, indicaram em um comunicado os pesquisadores desta expedição, após terem percorrido metade do seu trajeto.
A escuna oceanográfica “Tara” partiu da França em maio de 2016. A tripulação “observou os primeiros recifes muito afetados pelas mudanças climáticas” ao chegar à ilha Ducie, a oeste da Ilha de Páscoa (Chile), e depois em Moorea, na Polinésia francesa.
Nas ilhas Samoa, o branqueamento chegou a 90% e provocou a morte das colônias de corais. Em Okinawa (Japão), o nível é de 70%. Os recifes de coral cobrem apenas 0,2% da superfície dos oceanos, mas reúnem quase 30% da biodiversidade marinha.
“Quanto maior é o aumento da temperatura em relação aos valores esperados e quanto mais dura a exposição a estas fortes temperaturas da água, maior é o branqueamento”, indicou Serge Planes, diretor científico da missão.
“Limitar o aquecimento a dois graus, como prevê o Acordo de Paris, não é nem de longe suficiente para os ecossistemas marinhos”, advertiu Romain Troublé, diretor-geral da Fundação Tara Expeditions.
Após ter atravessado o oceano Pacífico, do canal do Panamá ao arquipélago do Japão, a escuna se encontra atualmente na Grande Barreira de Coral da Austrália.
Expedição alerta sobre branqueamento maciço de corais no Pacífico
Rate this post
Congresso dos Estados Unidos se une para ajudar vítimas de Harvey
Ossos achados em Roma reavivam enigma das relíquias de São Pedro