Furacão Maria chega a Porto Rico após passar pelas Ilhar Virgens americanas

Helene Valenzuela/ AFP O furacão Maria se fortaleceu em uma tempestade de categoria 5

Saint John , Estados Unidos – Depois de deixar pelo menos dois mortos em sua passagem pelo Caribe e de castigar as Ilhas Virgens americanas, o olho do furacão María atingiu Porto Rico nesta quarta-feira (20/9), com ventos de 255 km/h.

O centro do furacão entrou na ilha perto de Yabucoa, sul de Porto Rico, às 6h15 locais (7h15 de Brasília). María se encontra na categoria quatro da escala Saffir-Simpson, que mede esses fenômenos, informou o Centro Nacional de Furacões (NHC, na sigla em inglês).
Cruzará o arquipélago americano durante o dia e, na sequência, passará ao norte da República Dominicana, acrescentou o NHC. Em Porto Rico, cerca de 3,5 milhões de moradores correram ontem para comprar produtos de primeira necessidade e proteger suas casas e negócios.

Saiba mais

  • Furacão Maria causa uma morte e dois desaparecimentos em Guadalupe

    Furacão Maria causa uma morte e dois desaparecimentos em Guadalupe

  • Furacão Maria volta para categoria 5 e deve atingir Porto Rico esta noite

    Furacão Maria volta para categoria 5 e deve atingir Porto Rico esta noite

Cerca de 500 abrigos com capacidade para 67 mil pessoas foram abertos para enfrentar o furacão, que “pode ser o pior do (último) século em Porto Rico”, afirmou o governador deste território americano, Ricardo Rossello Nevares. Pelo menos 50 mil casas continuam sem energia elétrica nesse território desde a passagem do furacão Irma. Às 5h locais (6h, horário de Brasília), 11.229 pessoas já haviam procurado abrigo, tuitou o governador.

“Confesso que tenho medo. Pela primeira vez estou preocupada, porque é a primeira vez que vou ver um furacão dessa intensidade”, disse à AFP a professora Noemi Aviles Rivera, de 47 anos, que sobreviveu a dois deles: Hugo, em 1989, e Georges, em 1998.
Leia mais notícias em Mundo
Cenário de desolação 
Na ilha de Saint John, que ainda tenta se recuperar da passagem do Irma, há duas semanas, o furacões derrubou árvores e causou grandes danos materiais. Não há informações de vítimas até o momento.
As autoridades instauraram toque de recolher nas Ilhas Virgens britânicas, “extremamente vulneráveis”, segundo o primeiro-ministro Orlando Smith. Horas antes de alcançar as Ilhas Virgens americanas, María semeou desolação em territórios como a ilha francesa de Guadalupe. Lá, deixou dois mortos, e duas pessoas estão desaparecidas. Dominica também foi afetada.
A única informação de que se dispõe até agora é uma mensagem do primeiro-ministro Roosevelt Skerrit no Facebook, relatando que a ilha perdeu “tudo o que o dinheiro pode comprar”. O vento “arrasou os telhados das casas de quase todas as pessoas, com as quais eu falei”, acrescentou.
María também deve passar ao sul da costa de St. Martin e St. Barts, já devastadas pelo Irma em 6 de setembro, segundo o Ministério holandês da Defesa. Ambas as ilhas estão em alerta vermelho, segundo a agência meteorológica francesa, a Météo France.
Irma deixou cerca de 40 mortos no Caribe, antes de golpear a Flórida, estado americano onde pelo menos 58 pessoas morreram. Da ONU, em Nova York, o presidente da França, Emmanuel Macron, declarou que os devastadores furacões “são uma das consequências diretas do aquecimento global”.
“Essas consequências nos permitem compreender plenamente que o aquecimento global não é uma abstração, ou um fenômeno que afetaria apenas nossos filhos e netos. São, hoje, consequências muito diretas para nossas populações”, advertiu Macron.
Furacão Maria chega a Porto Rico após passar pelas Ilhar Virgens americanas
Rate this post
Presidente do Egito convoca palestinos a coexistir com Israel
Trump disse que o conflito do Catar pode ser rapidamente resolvido