Furacão Maria provoca devastação em Dominica e ameaça Guadalupe

AFP PHOTO / NOAA/RAMMB
Pointe-à-Pitre, França – O furacão Maria, “potencialmente catastrófico”, segue para Guadalupe como categoria 4 depois de devastar a ilha de Dominica e pode atingir as Ilhas Virgens e Porto Rico entre segunda-feira (18/9) à noite e terça-feira (19/9). Os moradores de Dominica perderam “tudo o que o dinheiro pode comprar e substituir”, afirmou nesta terça-feira Roosevelt Skerrit, primeiro-ministro da ilha do Caribe.
“O vento levou o telhado das casas de quase todas as pessoas com as quais eu conversei ou fiz contato de outra maneira. O telhado da minha própria residência oficial foi um dos primeiros afetados”, escreveu o chefe de Governo no Facebook. O dano é “devastador (…), de fato incompreensível”, completou Skerrit, que pediu “ajuda de todo tipo”.
A região, devastada há 10 dias pelo furacão Irma, se encontra em estado de alerta pela passagem de Maria, que em menos de 24 horas ganhou força e passou de tempestade tropical a furacão de categoria 5, a máxima, na escala Saffir-Simpson, antes de caira para categoria 4.

Saiba mais

O Centro Nacional de Furacões (NHC) dos Estados Unidos anunciou na segunda-feira que Maria era um furacão “potencialmente catastrófico”.  O fenômeno, com ventos de quase 260 km por hora, tocou a terra em Dominica às 22H15 (horário de Brasília) de segunda-feira.

Os quase 73 mil habitantes da ilha relataram na segunda-feira à tarde nas redes sociais os primeiros sinais do furacão, com árvores e postes de energia elétrica no chão, fortes chuvas, ventos violentos e inundações. Antes de Dominica, o olho do furacão passou a 50 km da costa norte de Martinica e deixou 33 mil casas sem energia elétrica, mas não provocou danos significativos, de acordo com as autoridades.
Leia mais notícias em Mundo

Guadalupe em alerta 

“Na trajetória prevista, o olho de Maria se movimentará para o nordeste do Mar do Caribe hoje, com uma aproximação das Ilhas Virgens e de Porto Rico esta noite e na quarta-feira”, indicou o NHC.
As medições do NHC registram ventos de 250 km/h e ameaças às Antilhas francesas, Guadalupe, assim como a São Cristóvão e Nevis e Montserrat (Reino Unido). Guadalupe, Santa Lúcia e as Ilhas Virgens britânicas e americanas estão em alerta e as autoridades da República Dominicada ordenaram a saída preventiva dos moradores de áreas vulneráveis.
O novo furacão deve passar ao sul das costas de Saint Martin e Saint Barth, ambas devastadas pelo furacão Irma, segundo o ministério da Defesa da Holanda. O furacão Irma deixou quase 40 mortos no Caribe antes de atingir o estado americano da Flórida, onde morreram pelo menos 50 pessoas.

Reforços 

Os governos da França, Reino Unido e Holanda, criticados por não terem enviados mais recursos antes e depois da passagem do Irma anunciaram reforços. A França anunciou no domingo o envio de 110 militares a Guadalupe e recordou que “quase 3.000” reforços já estão na ilha.
Mas o ministro do Interior francês, Gerard Collomb, admitiu “dificuldades importantes” caso o furacão atinja com força Guadalupe, já que a ilha é “o centro logístico” que permite alimentar Saint Martin e organizar as viagens aéreas e o abastecimento.
Londres também anunciou reforços para as Ilhas Virgens com “40 funcionários de apoio adicionais, 37 membros do serviço humanitário e mais de 1.300 militares preparados para atuar em tarefas prioritárias após a passagem de Maria”. Após a passagem do furacão Irma, o caos tomou conta de várias ilhas, que registraram saques ante a resposta tardia das autoridades.
 

Furacão Maria provoca devastação em Dominica e ameaça Guadalupe
Rate this post
Partido de Evo Morales pede anulação de normas que impedem sua reeleição
Cuba adia eleições em um mês devido aos danos causados pelo furacão Irma