Mulher russa de topless morre ao colocar corpo para fora do carro

Reprodução Natalia filmada pela amiga, momentos antes de bater a cabeça em um semáforo

Um mulher de 35 anos morreu após bater com a cabeça em um semáforo enquanto estava com o corpo pendurado na janela de um carro em alta velocidade. Natalia Borodina estava em uma viagem de férias na República Dominicana com uma amiga quando sofreu o acidente. 

Leia mais notícias em Mundo 

Ela estava sendo filmada pela amiga Ivanna Boirachuk, 32 anos, que também dirigia o carro. Em um vídeo que circula pelo aplicativo WhatsApp, é possível ver Natalia sem camisa e colocando metade do corpo para fora da janela por mais de uma vez. Em determinado momento, há um grito e ela parece ser atingida por um objeto na estrada. Nesse instante o vídeo é interrompido.

Saiba mais

Segundo informações do jornal britânico Daily Mail, Natalia acabou se chocando com um semáforo. Foi levada para o hospital ainda com vida, mas não resistiu aos ferimentos. Sua amiga, Ivanna, foi presa sob suspeita de estar dirigindo alcoolizada no momento do acidente. 

Amiga das duas, Elena Korolyova disse ao jornal russo Moskovsky Komsomolets que a Natalia não deveria ser condenada pela opinião pública, como vem ocorrendo na Rússia: “Ela não merece isso! Não importa se o comportamento dela foi imprudente”.

Reprodução/Facebook A vítima foi descrita pela família como carinhosa e dedicada ao filho

 

Elena contou que a vítima ajudava muito a família e sempre trabalhou para dar tudo ao filho. “Ela queria ter muitas coisas, ela estava esperando por um futuro melhor. Qualquer um pode cometer um erro, por que devemos julgá-la por apenas um vídeo? Somos todos santos?”, defendeu.

A família de Natalia a descreveu como uma “filha carinhosa e boa mãe para o filho de 11 anos”. Segundo informações do jornal russo, a família agora se esforça para  conseguir enterrar o corpo de Natalia na Rússia.

Mulher russa de topless morre ao colocar corpo para fora do carro
Rate this post
Trump anuncia que não certificará acordo nuclear com o Irã
Fotógrafo tentou algemar vítimas antes de assassiná-las, diz delegado