ONU garante alimentos para rohingyas em Bangladesh até novembro

STR/ AFP

O Programa Mundial de Alimentos (PMA) da Organização das Nações Unidas (ONU) assegurou, nesta quarta-feira (27/9), que tem garantida “até novembro” a distribuição de alimentos para os cerca de 500 mil rohingyas, que se refugiaram em Bangladesh, fugindo da violência em Mianmar. A informação é da Agência EFE.

“Estamos levando comidas das reservas do governo, por enquanto estamos em uma posição confortável até novembro”, afirmou à Agência EFE, o representante em Bangladesh do PMA, Dipayan Bhattacharyya. A situação está por enquanto “sob controle”, segundo Bhattacharyya, cuja maior preocupação agora é “manter a cadeia de suprimentos ininterrupta no futuro” e projetar um programa para garantir isso.
“Estamos prontos para fornecer assistência (alimentos) inclusive se chegar mais gente”, disse o representante da PMA, em um momento em que a ONU estimou em 480 mil o total de membros da minoria muçulmana rohingya que fugiram de Mianmar há um mês.
Leia mais notícias em Mundo
O Alto Comissionado da ONU para os Refaugiados alertou nesta semana que a situação dos rohingyas instalados em Bangladesh é “desesperadora” e pode piorar se não chegar mais ajuda humanitária aos assentamentos.
As necessidades são focadas no acesso ao saneamento e água potável em campos saturados de pessoas e sem infraestrutura para poder satisfazer as necessidades básicas, colocando a população de refugiados diante de risco de epidemias e uma crise de saúde.
O início do êxodo dos rohingyas começou no dia 25 de agosto, quando um grupo insurgente atacou essa minoria muçulmana contra postos policiais e militares birmaneses. Em resposta, o Exército birmanês lançou uma campanha militar que foi rotulada pelo Alto Comissionado da ONU para os Direitos Humanos como “limpeza étnica de manual”.
ONU garante alimentos para rohingyas em Bangladesh até novembro
Rate this post
Rússia destrói hoje suas últimas armas químicas, anuncia Putin
Comércio na Rocinha está aberto e clima é de aparente tranquilidade