Papa Francisco condena ‘expulsões arbitrárias’ de migrantes e refugiados

 Alberto Pizzoli / AFP - 15/8/2017

Cidade do Vaticano, Santa Sé – O papa Francisco voltou a se pronunciar a favor de “acolher” e “integrar” os migrantes e refugiados que fogem da fome e da guerra e condenou as “expulsões arbitrárias” adotadas por vários países diante desse grave e crescente fenômeno.

Em uma mensagem que será pronunciada em janeiro por ocasião da Jornada Mundial do Imigrante e do Refugiado, divulgada nesta segunda-feira (21/8), o papa argentino analisa o tema e propõe uma série de medidas concretas para aliviar a situação dos mais afetados. Filho de migrantes italianos, o sumo pontífice é muito sensível a esse tema.
“Considerando-se o cenário atual, acolher significa, acima de tudo, ampliar as possibilidades para que os emigrantes e refugiados possam entrar de modo seguro e legal nos países de destino”, afirma Francisco, em sua mensagem.

Saiba mais

  • Papa Francisco condena atentado terrorista em Barcelona

    Papa Francisco condena atentado terrorista em Barcelona

  • Presidente da França apresenta queixa contra paparazzo

    Presidente da França apresenta queixa contra paparazzo

  • Papa questiona fé de cristãos que consultam horóscopos e cartomantes

    Papa questiona fé de cristãos que consultam horóscopos e cartomantes

“Seria desejável um compromisso concreto para incrementar e simplificar a concessão de vistos por motivos humanitários e por reunificação familiar. Ao mesmo tempo, espero que um maior número de países adote programas de patrocínio privado e comunitário e abra corredores humanitários para os refugiados mais vulneráveis”, acrescenta.

Leia mais notícias em Mundo
“Seria conveniente, além disso, prever vistos temporários especiais para as pessoas que fogem dos conflitos para os países vizinhos”, sugere o papa. “As expulsões coletivas e arbitrárias de migrantes e refugiados não são uma solução adequada, sobretudo, quando acontecem para países que não possam garantir o respeito à dignidade, nem aos direitos fundamentais”, completa.
No texto, o papa não se refere a qualquer país, ou região, em particular. “Em nome da dignidade fundamental de cada pessoa, é necessário se esforçar para dar soluções que sejam alternativas à detenção dos que entram no território nacional sem estarem autorizados”, afirma.
Francisco lembra que, desde o início de seu pontificado, pronunciou-se sobre esse fenômeno, como em sua visita à ilha italiana de Lampedusa. Ele cita o Evangelho de São Mateus, segundo o qual “cada forasteiro que bate à nossa porta é uma ocasião de encontro com Jesus Cristo, que se identifica com o estrangeiro acolhido, ou rejeitado, em qualquer época da história”.
Papa Francisco condena ‘expulsões arbitrárias’ de migrantes e refugiados
Rate this post
Autor do ataque em Barcelona foi preso, diz jornal espanhol
Como ver o eclipse total desta segunda e outras perguntas sobre o fenômeno