Polêmica sobre o silêncio do Big Ben provoca revisão de prazos

Daniel LEAL-OLIVAS / AFP

O Parlamento britânico anunciou nesta quarta-feira (16/8) que revisará o plano de silenciar por quatro anos as badaladas do Big Ben para sua restauração, um prazo que causou indignação à primeira-ministra, Theresa May, e parte da opinião pública.
“Quando o Parlamento voltar (do recesso), e à luz das inquietações expressas por vários deputados, a Comissão da Câmara dos Comuns considerará a duração do período de silêncio dos sinos”, anunciou a Câmara Baixa em um comunicado. 
“As badaladas do Big Ben são parte da vida parlamentar, e nos asseguraremos de que podem retomar sua função de guardiãs do tempo da nação assim que possível”, acrescentou.
A polêmica começou logo após o anúncio, na segunda-feira, de que o Big Ben ficaria em silêncio a partir de 21 de agosto até 2021.
O motivo para silenciar o carrilhão durante as obras é proteger os trabalhadores do barulho ensurdecedor. 
Nesta quarta-feira, em seu regresso às atividades oficiais após as férias, May criticou a decisão e pediu que fosse revisada “urgentemente”.
“Claro que queremos garantir a segurança das pessoas no trabalho, mas não está bem que o Big Ben fique em silêncio durante quatro anos”, disse May à imprensa.

“Bem-estar mental da nação” 

O deputado conservador James Gray disse ao jornal Daily Telegraph que o “Big Ben é incrivelmente importante para o bem-estar mental da nação”.
A BBC usa as campanadas do relógio mais famoso do mundo para marcar o início dos seus informativos, e a torre atrai milhões de turistas a cada ano.
Em seu comunicado, a Câmara dos Comuns descartou a ideia de que os sinos soem à tarde e à noite, quando os operários não estiverem no local: “Iniciar e deter o Big Ben é um processo complexo e longo” que leva “cerca de metade de um dia”.
As obras servirão para restaurar e reparar a esfera do relógio e seu mecanismo, suas campainhas e a estrutura dessa torre de 96 metros construída em 1856.
Também será instalado um elevador, como alternativa aos 334 degraus que levam ao alto da torre.
O nome Big Ben se refere estritamente ao sino do grande relógio, mas é usado, em geral, para dar nome ao conjunto da torre e seu relógio.
O sino pesa 13,7 toneladas e soa a cada hora. É acompanhado de outros quatro sinos a cada 15 minutos.
O Big Ben funcionou quase sem interrupções nos últimos 157 anos, salvo em duas pausas de manutenção e renovação em 2007 e em 1983-85.
Quando as obras foram anunciadas, Steve Jaggs, responsável pelo monumento, disse que o silêncio era “um marco nesse projeto crucial de manutenção”. 
“Como encarregado do grande relógio, tenho a honra de garantir que essa peça de engenharia vitoriana está nas melhores condições dia a dia”, disse.
“Este programa essencial de obras protegerá o relógio em longo prazo, além de proteger e preservar seu lar, a Torre Elizabeth”, acrescentou Jaggs, convidando o público a “se concentrar na Praça do Parlamento para ouvir as últimas campanadas, até seu retorno em 2021”.
Polêmica sobre o silêncio do Big Ben provoca revisão de prazos
Rate this post
Justiça pede prisão de marido de ex-procuradora venezuelana por corrupção
EUA pedem que países latinos, inclusive Brasil, rompam com Coreia do Norte