Theresa May diz que houve progresso no diálogo com União Europeia

Maurizio DEGL'INNOCENTI/ AFP A primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May

A primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, afirmou nesta sexta-feira (29/9) que estava satisfeita com a atmosfera diferente e com os progressos obtidos nesta semana nas negociações para a saída do país da União Europeia, o chamado Brexit. No início de uma reunião da UE, May afirmou estar “satisfeita de que as negociações tenham tido progresso e estou ansiosa para desenvolver aquela parceria profunda e especial com a UE”.

O governo do Reino Unido quer avançar o mais rápido possível para conversas que incluem a relação futura. Já o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, afirmou que seria “um milagre” que houvesse suficiente progresso nas negociações do Brexit para que as conversas previstas para breve já incluam a relação futura entre Londres e o bloco.
Leia mais notícias em Mundo
A UE sustenta que é necessário haver “progresso suficiente” em direitos dos cidadãos, na questão da Irlanda e em temas financeiros, antes que as conversas possam incluir um acordo comercial futuro. Juncker afirmou que ainda está longe o momento em que líderes da UE podem avançar para o próximo estágio do diálogo, quando se reunirem novamente daqui a três semanas. “Até o fim de outubro não teremos progresso suficiente”, afirmou Juncker. “Até o fim desta semana estou dizendo que não haverá progresso suficiente de agora até o fim de outubro a menos que milagres aconteçam”, previu.
May ainda visitou tropas na Estônia, país próximo da fronteira russa, e afirmou que “o Reino Unido está comprometido incondicionalmente em manter a segurança da Europa”. Ela acrescentou que Londres continuará a oferecer ajuda a membros da UE vítimas de terrorismo, agressões armadas ou desastres naturais. A premiê propôs uma “nova parceria em segurança” com o bloco.  
Theresa May diz que houve progresso no diálogo com União Europeia
Rate this post
ACLU tenta impedir Trump de obter do Facebook dados de opositores
Alemanha adota sem alarde casamento homossexual