Trump elogia ‘sábia decisão’ de Kim Jong-un de descartar ataque a Guam

Saul Loeb e Ed Jones /AFP - 16/8/2017

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, escreveu nesta quarta-feira (16/8) em sua conta no Twitter, que o líder norte-coreano Kim Jong-un teve uma “atitude sábia” ao anunciar a decisão de não atacar a ilha de Guam, no Oceano Pacífico, onde os Estados Unidos têm uma base militar.

O líder norte-coreano afirmou na terça-feira (15/8), após uma análise do plano de lançamento de mísseis contra a ilha, que irá esperar e avaliar as ações do governo americano antes de ordenar um ataque. “Kim Jong-un, da Coreia do Norte, tomou uma decisão muito sábia e bem fundamentada. A alternativa teria sido catastrófica e inaceitável!”, escreveu Trump.

Saiba mais

Nesta quarta-feira (16/8) o Japão e os Estados Unidos realizaram manobras aéreas com bombardeiros na região sudeste da península coreana, no mar do Sul da China, com dois caças japoneses F-15  e dois lança-mísseis B-1B norte-americanos. 

De acordo com um boletim encaminhado à imprensa pela Força Aérea dos Estados Unidos, os lança-mísseis americanos decolaram da Base de Andersen, na ilha de Guam, e se juntaram aos caças japoneses para as manobras militares.
No comunicado, a Força Aérea americana destaca que os voos de treinamento com o Japão demonstram a solidariedade e a determinação que ambos os países compartilham “como aliados para preservar a paz e a segurança na (região) Indo-Ásia-Pacífico”.
Na semana passada, após um comentário de Donald Trump de que atacaria a Coreia do Norte com “fogo e fúria”, e depois de o país receber sanções do Conselho das Nações Unidas, Kim Jong-un anunciou ter um plano para atacar a ilha de Guam e que estaria pronto para realizar o ataque ainda em agosto.
A escalada de tensões levou a Alemanha e a China a pedirem cautela ao governo americano e que os dois lados pudessem optar pelo diálogo ao invés da retórica agressiva.
Trump elogia ‘sábia decisão’ de Kim Jong-un de descartar ataque a Guam
Rate this post
Japão passa a vigiar corais por suspeita de pesca ilegal chinesa
Theresa May diz que Brexit não encerrará "relação especial" com Irlanda