Com 63.880 vítimas em 2017, Brasil bate recorde de mortes violentas

(foto: Luis Nova/Esp. CB/D.A Press)(foto: Luis Nova/Esp. CB/D.A Press)

O Brasil registra novo recorde de homicídios em 2017: foram 63,8 mil mortes violentas intencionais – crescimento de 2,9% em relação ao ano anterior. Os dados foram divulgados pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública na manhã desta quinta-feira (9). Por dia, foram 175 assassinatos ao longo do ano. 
As maiores taxas de violência para cada 100 mil habitante foram registradas no Rio Grande do Norte, com 68, Acre com 63,8 e Ceará com 59,1 para cada 100 mil. Por outro lado, as menores foram no estado de São Paulo (10,7), Santa Catarina (16,5), e Distrito Federal (18,2). 
Os estupros também aumentaram: no ano passado, o país registrou 60 mil casos. Um aumento de 8,4% em relação a 2016. Também foram 1,1 mil feminicídios e 221,2 mil ocorrências de violência doméstica – 606 por dia. 
Ao todo, 367 policiais militares foram mortos em serviço, uma redução de 4,9% em relação a 2016. Foi um assassinato por dia. No entanto, 5,1 mil pessoas foram mortas em intervenções militares ao longo do ano, o que representa um aumento de 20%, Nesse caso, são 14 mortos por dia. 

Outros dados 

Ao longo do ano, 119,4 mil armas de fogo foram apreendidas em 2017. Sendo que 94,9% delas não foram cadastradas no sistema da Polícia Federal (SINARM). E 13,7 mil armas legais foram perdidas, extraviadas ou roubadas. 
O país investiu R$ 84,7 milhões em gastos com segurança pública. Por cidadão, esse valor é de R$ 408,13. Sendo que a União investiu R$ 9,7 bilhões (alta de 6,9%), os municípios pagaram R$ 5,1 bilhões (redução de 2%), e as unidades da federação investiram R$ 69,8 bilhões (varição de 0,2%). 
Com 63.880 vítimas em 2017, Brasil bate recorde de mortes violentas
Rate this post
Espanha recebe imigrantes que foram resgatados no litoral da Líbia
Registrado novo terremoto de 5,9 na ilha indonésia de Lombok