Ministro da chancelaria indiana é acusado de assédio sexual

M.J. Akbar é acusado de ter tido condutas sexuais inapropriadas com jornalistas jovens(foto: Reprodução )M.J. Akbar é acusado de ter tido condutas sexuais inapropriadas com jornalistas jovens (foto: Reprodução )

 

Nova Délhi, Índia – Um membro do governo do primeiro-ministro Narendra Modi foi acusado nesta terça-feira na Índia de assédio sexual nas redes sociais.
M.J. Akbar, ministro de segundo escalão da chancelaria indiana, é acusado de ter tido condutas sexuais inapropriadas com jornalistas jovens, segundo testemunhos no Twitter.
A jornalista Priya Ramani, primeira mulher a se manifestar publicamente contra M.J. Akbar, revelou na noite da última segunda-feira, em um tuíte que se tornou viral, que o atual ministro era o chefe de redação anônimo que descreveu em um artigo publicado no ano passado.
O texto relata uma entrevista de trabalho que ela teve com ele, quando tinha 23 anos e o ministro 43, em um quarto de hotel em Mumbai. 
“Ele é um especialista em telefonemas, mensagens obscenas (…) Sabe beliscar, dar tapas, esfregar, pegar e agredir”, disse no texto publicado pela Vogue Índia.
Outras jornalistas relataram pelo Twitter experiências similares com o ministro, que antes de chegar à política ocupou cargos de chefia em prestigiadas publicações como The Telegraph, Asian Age e The Sunday Guardian.
O ministério das Relações Exteriores não respondeu às solicitações da AFP. A chefe da diplomacia, Sushma Swaraj, ignorou a pergunta de um jornalista sobre a possibilidade de abertura de investigação.
Ministro da chancelaria indiana é acusado de assédio sexual
Rate this post
Consumo compulsivo de álcool na adolescência prejudica o cérebro
Google recorre de multa recorde de %u20AC 4,3 bi da UE por Android