Recuperação de turista atacado por tubarão em PE surpreende equipe médica

Potiguar está em repouso na enfermaria do Hospital da Restauração(foto: Secretaria da Saúde/Divulgação)Potiguar está em repouso na enfermaria do Hospital da Restauração (foto: Secretaria da Saúde/Divulgação)

A evolução do quadro de saúde do potiguar Pablo Diego Inácio de Melo, 34, vítima de um ataque de tubarão da espécie tigre na praia de Piedade no dia 15 de abril, surpreendeu a equipe médica pela recuperação bem-sucedida. Ele saiu da UTI há quatro dias e permanece na enfermaria do Hospital da Restauração, no Derby.
Após cirurgias que amputaram sua perna direita, mão direita e restauraram os tendões do braço esquerdo, o paciente está consciente, conversando e se alimentando normalmente. “Ele ganhou uma nova data de aniversário”, disse Adércio Pereira, cirurgião vascular responsável pelos procedimentos, em coletiva de imprensa no hospital na manhã desta quinta-feira (17/5).
Devido ás sequelas, a preocupação agora é a recuperação ortopédica. Para isso, ele terá de passar por fisioterapia no membro superior esquerdo, além de se adaptar às próteses para o membro superior direito e o membro inferior direito. “Mesmo sabendo das sequelas que tem, o paciente está confiante, com a autoestima elevada. Isso ajudou muito na recuperação dele. Ele teve um prognóstico bom: passou por risco de vida e agora está bem, apenas com sequelas”, explicou o médico. Ele ainda explicou que o porte físico de Pablo, um homem jovem e musculoso, ajudou muito para resistir aos traumas. “No dia após operatório imediato, ele já estava melhor. Foi surpreendente”.
Pereira, que trabalhou na recuperação de outras quatro vítimas de ataques de tubarão, admitiu que o caso de Inácio de Melo foi atípico. “Geralmente recebemos ocorrências com apenas um membro prejudicado. Desta vez, foram três, uma espécie de recorde. Tivemos a prova que o dono do mar é o animal marinho. Nós, humanos, somos extremamente vulneráveis”. 
Depois das cirurgias iniciais em abril, a preocupação da equipe foi a recuperação da perda do sangue. Ele recebeu cerca de 11 transfusões, com 360 ml cada. Também houve receio em relação à infecções. “A boca do tubarão tem vermes atípicos para nós, próprios da flora marinha. Isso foi um temor. Pablo conseguiu superar com antibióticos de última geração”.
De acordo com a assessoria do hospital, a alta de Pablo Diego Inácio de Melo deve ocorrer dentro de 15 dias. O paciente optou por não dar entrevista.

Histórico de ataques

O ataque ao potiguar, em 15 de abril, aconteceu na mesma região onde o primeiro ataque de tubarão das praias urbanas da Região Metropolitana do Recife foi registrado, ainda no ano de 1992. Na época, o crescimento de casos do tipo fez com que uma série de medidas fossem tomadas para segurança dos banhistas, entre elas, a instalação de placas de alerta e a proibição do surfe. 
Com este caso, sobe para 63 o número de vítimas de ataques de tubarão registradas em 26 anos na região. Vinte e quatro delas não sobreviveram aos ferimentos e morreram. O último caso de morte por ataque do tipo registrado na RMR foi da turista Bruna Gobbi, de 18 anos, em 22 de julho de 2013.  
Recuperação de turista atacado por tubarão em PE surpreende equipe médica
Rate this post
Em menos de 12h, policiais à paisana são vítimas de violência em São Paulo
Presos por pedofilia incluem professores, advogados e servidores públicos