Sobrevivente da queda do Globocop respira por ajuda de aparelhos

Facebook/Reprodução No impacto, o Miguel sofreu fratura na perna direita, lesões graves no abdômen, com perda do baço, e traumatismo no rosto, incluindo fratura da mandíbula

O estado de saúde do operador de vídeo Miguel Brendo Pontes Simões, 21 anos, sobrevivente do acidente com o Globocop, permanece gravíssimo, informou o novo boletim médico divulgado na manhã desta quarta-feira (24/1). O paciente está internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital da Restauração (HR), no bairro do Derby, área central do Recife. De acordo com os médicos, ele está sedado, fazendo uso de droga vasoativa e respira com a ajuda de aparelhos.
Miguel é um dos tripulantes do helicóptero que caiu na praia do Pina, na manhã dessa terça-feira (23/1), e estava sentado no banco de trás da aeronave no momento da queda. No impacto, Miguel sofreu fratura na perna direita, lesões graves no abdômen, com perda do baço, e traumatismo no rosto, incluindo fratura da mandíbula. A vítima foi retirada do mar por populares. Chegou ao Hospital da Restauração às 6h50 e entrou direto para o bloco cirúrgico. Devido à gravidade dos ferimentos, não houve tempo de fazer nenhum exame. 

Saiba mais

  • Piloto do Globocop que caiu é tratado como herói por evitar tragédia maior

    Piloto do Globocop que caiu é tratado como herói por evitar tragédia maior

  • 'Se eu tiver que morrer é no ar', dizia o piloto do Globocop

    ‘Se eu tiver que morrer é no ar’, dizia o piloto do Globocop

  • Despedida e homenagens marcam velório do piloto do Globocop em Pernambuco

    Despedida e homenagens marcam velório do piloto do Globocop em Pernambuco

A cirurgia começou às 6h55 e foi concluída pouco antes das 13h. A equipe de traumatologia do HR atuou de forma simultânea, Miguel foi operado por um cirurgião buco-maxilo, um cirurgião-geral, um cirurgião-vascular, um neurologista e um ortopedista. O procedimento durou quase seis horas. 

O estado dele é considerado gravíssimo e as 48 horas seguintes ao acidente serão fundamentais para determinar a recuperação do paciente. “Foram feitos todos os procedimentos de emergência para estabilizar o quadro. Outras cirurgias serão necessárias dependendo da recuperação dele”, explicou o cirurgião-geral do HR, Rogério Ehrhardt. 

 

Sobrevivente da queda do Globocop respira por ajuda de aparelhos
Rate this post
Maradona posta foto segurando camisa do Brasil para demostrar apoio a Lula
Despedida e homenagens marcam velório do piloto do Globocop em Pernambuco