Trump adverte ONU sobre esforços ‘desestabilizadores’ do Irã

 Nicholas Kamm / AFP O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump


Washington, Estados Unidos –
O presidente americano Donald Trump acusou nesta segunda-feira (30/1) o Irã de desestabilizar o Oriente Meio, durante uma reunião com membros do Conselho de Segurança da ONU.

Em um encontro na Casa Branca com membros do Conselho de Segurança e de sua próprio equipe de segurança, Trump disse que o grupo tinha “muito trabalho” a fazer e elaborou uma lista de objetivos por cumprir que incluem contabilizar “as atividades desestabilizadoras do Irã”, acabar com o conflito sírio, combater o terrorismo e desnuclearizar a Coreia do Norte.
Leia as últimas notícias de Mundo

Saiba mais

Anteriormente, a embaixadora dos Estados Unidos diante ONU, Nikki Haley, havia levado seus colegas membros do Conselho de Segurança à base conjunta de Anacostia-Bolling, em Washington, para mostrar a eles o que, segundo disse, eram os restos de um míssil iraniano lançado em direção à Arábia Saudita.

“A evidência de que o Irã está ignorando descaradamente seus obrigações internacionais continua crescendo”, disse Haley após a visita. “A agressão do Irã é uma ameaça não só a seus vizinhos, mas para o mundo inteiro”.
Haley está tentando persuadir o Conselho de Segurança de que empreenda ações contra o Irã, provavelmente através da imposição de novas sanções, mas certamente enfrentará a oposição da Rússia, que mantém boas relações com Teerã.
Funcionários do governo americano afirmam que os fragmentos de metal que se podem ver na base de Anacostia-Bolling procedem de um míssil balístico de curto alcance fabricado pelo Irã, que foi entregue a rebeldes huthis no Iêmen e que foi lançado em novembro a um aeroporto internacional próximo à capital saudita de Riad. O míssil foi derrubado e deixou vítimas. O Irã nega estar armando os huthis.
Trump adverte ONU sobre esforços ‘desestabilizadores’ do Irã
Rate this post
Parlamento da Catalunha adia sessão de posse de Puigdemont
Diretor da CIA diz que Rússia interferirá em eleições legislativas dos EUA